11 de jan de 2016

Pipas e balões deixaram mais de 700 mil pessoas sem energia elétrica em 2015

Sol, férias escolares e horário de verão. Combinação perfeita para a diversão da criançada, que aproveita o período para soltar pipas e, em algumas cidades, balões festivos.
A EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte, alerta sobre os riscos e proibições que devem ser levados em conta na hora da brincadeira, já que, além de poder provocar o desligamento da rede, acidentes graves podem ocorrer. E, a soltura de balões, é crime ambiental.
“A diversão fica ainda mais prazerosa quando não se descuida da segurança e, por isso, é imprescindível que crianças e adolescentes evitem empinar pipas próximo à rede elétrica e escolham praças, campos abertos e parques”, diz Marcos Scarpa, Relações Institucionais da concessionária.
Para se ter dimensão dos problemas que pipas e balões podem causar, de acordo com levantamento da empresa, entre janeiro e dezembro do ano passado, foram registradas mais de 7.500 ocorrências nos 28 municípios da área de concessão. Como consequência, 710 mil clientes tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido.
Guarulhos (2.311), Itaquaquecetuba (1.004), Mogi das Cruzes (525), São José dos Campos (416) e Suzano (747) lideram o ranking de cidades com os maiores números de incidências de tal natureza.
Os números do município de Lorena não foram informados.
Nestes casos, as equipes da Distribuidora foram deslocadas para fazer a limpeza da fiação e restabelecer o fornecimento da energia interrompida por danos na rede elétrica.
Para evitar que os clientes não sofram com a interrupção no serviço, a EDP orienta sobre os perigos de empinar pipas e soltar balões próximo à rede elétrica:
A prática de soltar balão é crime previsto no Código Penal e na Lei de Crimes Ambientais. Fabricar, vender, transportar ou soltar balões gera reclusão de um a três anos, multa, ou ambas as penas;
Se o balão cair sobre uma subestação, os danos poderão ser de grande proporção, tendo como consequência a interrupção de energia para um grande número de clientes;
Alguns materiais utilizados na confecção de pipas são condutores de energia e aumentam o perigo quando em contato com a rede elétrica. Rabiolas feitas de fita VHS ou cassetes são alguns exemplos.
O uso de cerol (pó de vidro com cola) é proibido e pode acarretar em pagamento de multa pelo responsável. O cerol é um risco para motociclistas e pedestres e, também, oferece perigo no contato com a rede de energia.
Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedra presa a uma linha) ou qualquer outro item condutor de energia não devem ser lançados;
Empinar pipas em locais como lajes e muros deve ser evitado. A proximidade com a rede elétrica aumenta o risco de acidentes;
É expressamente proibido invadir as subestações da EDP para recuperar pipas e balões. Esses locais são energizados e somente pessoas autorizadas podem entrar nas estações.
Um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras e até causar a morte.
Vale lembrar que, em caso de qualquer anormalidade na rede da distribuidora, os consumidores devem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente, por meio do telefone 0800 721 0123, que funciona 24 horas e com ligação gratuita.

A conscientização da brincadeira segura
Ao longo de 2015, a EDP, por meio do Instituto EDP e em parceria com a Evoluir, realizou o projeto Brincando com Pipas, uma iniciativa para conscientização da importância da brincadeira segura.
Capacitação de gestores e educadores, além de palestras para as crianças, intervenções artísticas e jogos cooperativos, fizeram parte do projeto que, em Suzano, cidade que sediou as atividades na região, envolveu quatro mil estudantes da rede pública municipal.

Com colaboração: Mariana Bolognese

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blog de Notícias com finalidade de divulgar a cidade de Lorena-SP.
Agradecemos sua visita e se assim desejar, deixe seu comentário.